Mãe Beata de Iemanjá - Tributo

Mãe Beata, ao longo de sua vida, sempre se posicionou a favor da justiça social, esteve à frente de mobilizações e atividades de combate à intolerância religiosa, de prevenção das DSTs/HIV/Aids e câncer de mama, à violência contra a mulher, à discriminação racial e de gênero, além de ser publicamente conhecida defensora do meio ambiente Desde os anos ela passa a ser considerada uma das grandes personalidades do candomblé do Rio de Janeiro

Tributo a Beto sem Braço

O Samba do Mercado Velho homenageou o saudoso compositor Beto Sem Braço com uma roda de samba super especial

Tributo a Januário Garcia

Na minha geração ninguém vai poder falar que o negro não tem memória, porque vai ter Eu vou fazer essa memória - Januário Garcia

Para Pretos Pardos e Simpatizantes

O curta metragem uniu a música e a dramaturgia e aborda questões sociais, como o afrocentrismo, antirracismo e amor preto

Mulheres Negras: Benedita da Silva

Uma mulher cheia de sonhos que carrega a herança das mulheres negras ancestrais

Palhaços - Seu Sebastião

Performance de Altay Veloso interpretando Palhaços com o personagem Seu Sebastião extraído do livro Lábios de Cuba Libre

Eu Não Sou Branco, Eu Sou Preto!

Curta metragem experimental Sinopse: Um mergulho na descoberta de si, desconstrução das amarras impostas pela sociedade e construção de uma nova consciência e pertencimento de mundo Não basta ser negro é preciso tornar-se negro

Mãe África

Vídeo emblemático da abertura do Festival ORI - De cabeça na Consciência, com participação de Léa Garcia e texto de Altay Veloso

Marrom - Seu Sebastião

Altay Veloso presta uma emocionante homenagem à renomada cantora Alcione, por meio de seu personagem Seu Sebastião

Ela Pode Tudo

Ela Pode Tudo She Can Do It All é um filme/manifesto de empoderamento feminino Uma mulher determinada que se jogou no mundo e foi em busca da realização de seu sonho: Ser cineasta Agora, ela quer fazer com que todas as mulheres se despertem para uma única verdade que é: mais do que quererem tudo, elas podem tudo Realização: Cinemas Possíveis Roteiro e Direção: Daniele Souza e Spike Luu Edição / Montagem: Spike Luu Elenco: Daniele Souza Participação especial: Camila de Moraes e Uilton Oliveira

Meu Nome é Maalum

Maalum é uma menina negra brasileira que nasce e cresce em um lar rodeado de amor e de referências afrocentradas Logo que Maalum sai do seio de sua casa, ela se depara com os desafios impostos pelos discursos e práticas de uma sociedade racista Assim que ela chega na escola, todos riem do seu nome Ela não entende o porquê e, com ajuda da sua família, Maalum vai descobrir o significado e a tristeza se transforma em orgulho através da sua ancestralidade

Quantos Mais?

João só queria lutar por um mundo melhor e mais justo, mas uma triste realidade vem à tona Filme de curta metragem indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de

Ao Artista o que é de Direito

Um manifesto de Altay Veloso em defesa da arte e dos direitos autorais de uma classe amplamente trabalhadora  

O Boneco e o Palhaço

O reencontro de amigos traz à tona o porquê dos caminhos e as escolhas, desencadeando uma reflexão sobre o distanciamento das pessoas, a falta de empatia, egoísmo e tantas outras mazelas das relações humanas Com muito humor, esses dois personagens prometem restabelecer a amizade, o talento e a união que outrora havia ficado para trás Pipoca Fabinho D Lélis é um boneco ventríloquo desacreditado da bondade dos homens, ao lado de Pimpão Ed Oliveira , um mágico que jamais perde o encanto pelo que há de bom na vida
Seu vídeo começa em

Mãe Beata de Iemanjá - Tributo

38 min - 2022 - Cultne.TV
10
Filmes - Fé e espiritualidade, Biográfico

Um documentário em homenagem ao legado deixado pela mãe de santo, escritora e artesã, a partir do seu trabalho a frente do Ylê Axé Omijuaro (Casa das Águas dos Olhos de Oxóssi) fundado em 1985

Mãe Beata, ao longo de sua vida, sempre se posicionou a favor da justiça social, esteve à frente de mobilizações e atividades de combate à intolerância religiosa, de prevenção das DSTs/HIV/Aids e câncer de mama, à violência contra a mulher, à discriminação racial e de gênero, além de ser publicamente conhecida defensora do meio ambiente. Desde os anos 80 ela passa a ser considerada uma das grandes personalidades do candomblé do Rio de Janeiro.

Conteúdos Relacionados