13ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa 2020

A “Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa” vem sendo realizada desde 2008, no Rio de Janeiro. Reúne diversas correntes religiosas e da sociedade civil, com o objetivo de visibilizar o tema da intolerância religiosa no país, especialmente no que concerne às religiões afro-brasileiras. Em 2020, devido a pandemia do Covid-19 a 13ª Caminhada aconteceu no ambiente virtual.

Bastidores do Lançamento do filme "Luta Sagrada"

Salvador foi o ponto de partida do filme documentário A Luta Sagrada – O Combate à Intolerância no Estado da Bahia, lançado no dia 11 de setembro de 2018, às 18h, na Sala de Arte – Cinema do Museu, no Corredor da Vitória.

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa - Olivia Santana

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa - Olivia Santana Cultne com imagens e edição de Filó Filho e Pedro Oliveira registraram em 21 de janeiro no Teatro Castro Alves em Salvador, Bahia. Na oportunidade, o evento marcou o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. A sociedade brasileira celebra no dia 21 de janeiro, o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Nessa mesma data, no ano de 2000, na Bahia, faleceu uma sacerdotisa do Candomblé, Gildásia dos Santos e Santos. A ialorixá – mãe de santo – foi vítima de AVC após ter seu rosto estampado na capa de publicação da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) com a manchete “macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”. O debate integrou a programação na capital baiana promovida por diversas secretarias do governo Estado em parceria com União de Negros pela Igualdade (Unegro), Centro de Educação e Cultura Popular além de líderes espíritas, católicos, evangélicos e de religiões de matrizes africanas. A lei nacional foi inspirada em iniciativa municipal da então vereadora Olívia Santana, atual secretária do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Estado da Bahia. O 21 de janeiro ficou marcado na Bahia como a data em que a ialorixá, Mãe Gilda, de itapoã, faleceu por infarto após sofrer agressões que a acusavam de charlatanismo, episódio ocorrido no ano 2000. “Mãe Gilda simboliza toda uma ação dos terreiros de candomblé contra a discriminação”, declarou Olívia (foto) à reportagem da Televisão Educativa da Bahia. A secretária ressaltou que no Brasil essa intolerância tem endereço certo e são os terreiros de matrizes africanas. “Não podemos celebrar a intolerância. Temos que coibir, reagir, combater as práticas de intolerância e afirmar a boa convivência entre os contrários”.

X Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa - 2017

10ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa reunindo cerca de 50 mil pessoas reunindo principalmente fiéis de religiões de matriz afro-brasileira, mas também representantes de igrejas cristãs, da comunidade judaica e de outras religiões (Baha'i, wicca, kardecista, budista e Hare Krishna). Nos últimos anos a Comissão Estadual de Combate a Intolerância Religiosa (CCIR), em parceria com o Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap), vem chamando a atenção da sociedade e das autoridades públicas para o perigo da construção de estado teocrático em um país constitucionalmente laico como o Brasil.

O samba na luta contra a intolerância religiosa - Mesa 04

Quarta Mesa do Evento Axé e Carnaval - O Samba na luta contra à intolerância religiosa, que aconteceu no Centro de Artes Municipal Hélio Oiticica, no centro do Rio de Janeiro, em outubro de 2019.

O samba na luta contra à intolerância religiosa - mesa 03

Terceira Mesa do Evento Axé e Carnaval - O Samba na luta contra à intolerância religiosa, que aconteceu no Centro de Artes Municipal Hélio Oiticica, no centro do Rio de Janeiro, em outubro de 2019.

O samba na luta contra à intolerância religiosa - mesa 02

Segunda mesa do Evento Axé e Carnaval - O Samba na luta contra à intolerância religiosa, que aconteceu no Centro de Artes Municipal Hélio Oiticica, no centro do Rio de Janeiro, em outubro de 2019.

O samba na luta contra à intolerância religiosa - mesa 01

Primeira mesa do Evento Axé e Carnaval - O Samba na luta contra à intolerância religiosa, que aconteceu no Centro de Artes Municipal Hélio Oiticica, no centro do Rio de Janeiro, em outubro de 2019.

O samba na luta contra à intolerância religiosa - Mesa de Abertura

Mesa de Abertura do Evento Axé e Carnaval - O Samba na luta contra à intolerância religiosa, que aconteceu no Centro de Artes Municipal Hélio Oiticica, no centro do Rio de Janeiro, em outubro de 2019.