Da chacina da Candelária a volta por cima - Robson Douglas

O ex-ultra maratonista Robson Douglas teve uma infância dividida entre a vida na rua, uso de drogas e internação na Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (FEBEM), até chegar a ser um dos integrantes da Chacina da Candelária no dia 23 de julho de 1993, onde cerca de 50 menores de rua dormiam nas imediações da Igreja da Candelária, no centro do Rio, quando homens armados surpreenderam os menores e matando sete deles. Os suspeitos eram oficiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A Chacina da Candelária, como ficou conhecido o episódio, é um ícone da violência contra jovens negros e pobres no Brasil. O Ministério Público colocou vários sobreviventes no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas. Robson Douglas, saiu do Rio de janeiro, percorrendo alguns estados, fixando-se em Foz do Iguaçu, fronteira com a Cidade do leste do Paraguai.. Lá conseguiu apoio e encontrou no esporte uma nova vida, tornando-se um ultra maratonista reconhecido nacional e internacionalmente. Dentre as provas que participou está a Maratona Internacional de São Paulo; 2ª Fin Del Mundo Marathon Patagônia, na Argentina; Comrades Marathon Route Map, África do Sul; e participação na Prova de 24 horas, quando foi reconhecido como o único ultramaratonista do Oeste paranaense. Dentre as principais conquistas está o recorde estadual em esteira, com 320 km percorridos. Outro feito de Robson Douglas foi correr nada menos que 162 quilômetros durante 16 horas e 5 minutos. O desempenho do corredor foi certificado pela Câmara Júnior de Foz do Iguaçu, com direito a um fiscal, que controlou o tempo e percurso feito numa esteira, marca RT 300 Moviment. O atleta percorreu por dia uma média de 40 quilômetros em 4 horas. Vale destacar que os 162 quilômetros equivalem a quase quatro maratonas (cada uma tem 42.195 metros). Robson nasceu em São Gonçalo/RJ no ano de 1997, já morou no Canadá e chegou a Foz do Iguaçu em 1996. É pai de quatro filhos: Maico, Raíssa, Kimbaster e Rubérico. Todos, a exemplo do pai, são atletas maratonistas, e apesar da pouca idade já conquistaram algumas vitórias em suas categorias

Ato contra o Genocídio da Juventude Negra - 2015

Mobilização da juventude negra em 03 de dezembro de 2015, em Madureira bairro da zona norte da cidade do Rio de Janeiro após a chacina onde 111 tiros foram disparados por policiais militares contra cinco jovens negros, e depois tentaram plantar uma arma no carro das vítimas. Os sonhos dos cinco rapazes foram interrompidos por mais de 100 tiros de fuzis e pistolas disparados pelos PMs do 41º BPM no dia 28 de Novembro de 2015.
2
Genocídio da Juventude... 14:47
EP2 - Genocídio da Juventude Negra - OAB RJ

Genocídio da Juventude Negra - OAB RJ

“Genocídio da Juventude Negra - Violência Sistêmica da Escravidão?”, evento realizado no dia 13 de novembro de 2017 no auditório da OAB no Rio de Janeiro, com iniciativa da CNVENB/CFOAB - Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil e CVENB OAB RJ - Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil / OAB RJ.

Ato Contra o Genocídio da Juventude Negra - Madureira

Em 3 de dezembro de 2015, a juventude negra em sua grande maioria se reuniu em um ato contra o genocídio da população negra em nosso país, em especial ao massacre aos 5 jovens moradores em Costa Bastos, zona norte do Rio de janeiro que foram fuzilados por policiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro com mais de 110 tiros quando estavam dentro de um veículo. Cultne esteve presente ao ato com imagens, entrevistas e edição de Pedro Oliveira e Ricardo Brasil.