Teatro Solar Boa Vista - Chicco Assis

Cultne registrou com imagens, entrevista e edição de Filó Filho, Vik Birkbeck e Nelson Maca o papo com Chicco Assis, o atual gestor do Cine Teatro Solar Boa Vista. Chicco é um dos importantes colaboradores do projeto "Pra te Lembrar do Badauê" que aconteceu no CineTeatro Solar Boa Vista no bairro de Brotas. Na oportunidade o poeta Nelson Maca do Coletivo Blackitude colaborou com o Acervo Cultne entrevistando Chicco Assis, coordenador do Cine Teatro Solar Boa Vista, sempre antenado à memória cultural do bairro onde está localizado, deu início às celebrações pelo 35° aniversário do Badauê, com a realização de vários shows com a participação de diversos artistas e a comunidade, eclodindo o desejo em continuar a atividades de prol da valorização desta memória.

Ópera Alabê de Jerusalém

Ópera Alabê de Jerusalém onde fundem-se os matizes de tinturas extraídas de diferentes raízes para assim tornar possível uma pintura nova, original, fecunda e arrojada. Assim é o Alabê de Jerusalém, a saga de africano de Daomé, contemporâneo e amigo de Jesus Cristo, que hoje, 2.000 anos depois retorna a Terra para nos contar a sua história. A Ópera Alabê de Jerusalém se propõe a emocionar e provocar uma reflexão sobre os temas da toler6ancia e da convivência pacífica entre as diferentes crenças e raças.

Lea Garcia - Damas Negras

CULTNE registrou em 30 de novembro de 2011 a homenagem as Damas Negras da dramaturgia nacional realizada pelo Departamento Cultural do Renascença Clube para as atrizes atrizes Ruth de Souza, Léa Garcia, Chica Xavier e Zezé Motta. Na oportunidade, entrevistamos Sandra Almada, autora do livro Damas negras -- Sucesso, lutas, discriminação (Mauad, 1995), obra sobre a trajetória das atrizes que abordam o trabalho de reconhecimento e de posição afirmativa da mulher negra na mídia. No livro são discutidas questões com relação ao racismo na área artística e no meio acadêmico, a dificuldade de se conseguir personagens que não estivessem já classificados pelo autor como negro e o fato de serem chamadas normalmente para papéis de serviçais.

Damas Negras no Renascença Clube

CULTNE registrou em 30 de novembro de 2011 a homenagem as Damas Negras da dramaturgia nacional realizada pelo Departamento Cultural do Renascença Clube para as atrizes atrizes Ruth de Souza, Léa Garcia, Chica Xavier e Zezé Motta. Na oportunidade, entrevistamos Sandra Almada, autora do livro Damas negras -- Sucesso, lutas, discriminação (Mauad, 1995), obra sobre a trajetória das atrizes que abordam o trabalho de reconhecimento e de posição afirmativa da mulher negra na mídia. No livro são discutidas questões com relação ao racismo na área artística e no meio acadêmico, a dificuldade de se conseguir personagens que não estivessem já classificados pelo autor como negro e o fato de serem chamadas normalmente para papéis de serviçais.

Damas Negras da Dramaturgia

CULTNE registrou em 30 de novembro de 2011 a homenagem as Damas Negras da dramaturgia nacional realizada pelo Departamento Cultural do Renascença Clube para as atrizes atrizes Ruth de Souza, Léa Garcia, Chica Xavier e Zezé Motta. Na oportunidade, entrevistamos Sandra Almada, autora do livro Damas negras - Sucesso, lutas, discriminação (Mauad, 1995), obra sobre a trajetória das atrizes que abordam o trabalho de reconhecimento e de posição afirmativa da mulher negra na mídia. No livro são discutidas questões com relação ao racismo na área artística e no meio acadêmico, a dificuldade de se conseguir personagens que não estivessem já classificados pelo autor como negro e o fato de serem chamadas normalmente para papéis de serviçais.

Bate bola - Cheiro da Feijoada

O Renascença Clube, celebrando os seus 60 anos de resistência cultural em 2011, apresentou o espetáculo teatral O Cheiro da Feijoada após realizar a 38 anos atrás o espetáculo Orfeu Negro de Vinicius de Moraes, na oportunidade membros da comunidade negra presente bateram um papo sobre o trabalho cultural que o clube vem realizando ao longo de todos estes anos.

Jorge Coutinho - ator e diretor

O Renascença Clube, celebrando os seus 60 anos de resistência cultural em 2011, apresentou o espetáculo teatral O Cheiro da Feijoada após realizar a 38 anos atrás o espetáciulo Orfeu Negro de Vinicius de Moraes. Na oportunidade, o ator e diretor Jorge Coutinho falou do trabalho cultural que o clube vem realizando.